Autor: Rodrigo R Soares

WP 090 Local Labor Market Conditions and Crime: Evidence from the Brazilian Trade Liberalization

Abstract – This paper estimates the effect of local labor market conditions on crime in adeveloping country with high crime rates. Contrary to the previous literature, which has focused exclusively on developed countries with relatively low crime rates, we find that labor market conditions have a strong effect on homicides. We exploit the 1990s trade liberalization in Brazil as a natural experiment generating exogenous shocks to local labor demand. Regions facing more negative shocks experience large relative increases in crime rates in the medium term, but these effects virtually disappear in the long term. This pattern mirrors the labor market responses to the trade shocks. Using the trade liberalization episode to design an instrumental variables strategy, we find that a 10% reduction in expected labor market earnings (employment rate earnings) leads to a 39% increase in homicide rates. Our results highlight an additional dimension of adjustment costs following trade shocks that has so far been overlooked in the literature. Download do Paper Ano: 2016 Working-paper: 2016 Rodrigo R Soares Ler todos os Posts de Rodrigo R Soares Share...

Leia mais

WP024 – Spillovers from Conditional Cash Transfers: Bolsa Família and Crime

Corroborando achados de literaturas anteriores, este trabalho de Laura Chioda (Banco Mundial), João M. P. De Mello (PUC-Rio) e Rodrigo R. Soares (PUC-Rio e IZA)  constata impacto negativo do Bolsa Família – maior programa de transferência de renda condicional do mundo – sobre a criminalidade. As estimativas indicam que a expansão do programa, ocorrida entre 2006 e 2009 e que elevou o número de estudantes beneficiados por escola, provocou redução de 21% nas taxas de crimes registradas nas redondezas das instituições de ensino. Também se verificou que  os efeitos mais relevantes, do ponto de vista quantitativo, recaíram sobre os roubos e, em menor escala, sobre delitos relacionados ao tráfico de drogas e contra menores (abandono, por exemplo). Mais do que a incapacitação para o crime devido ao tempo passado na escola, o aumento na renda familiar foi o principal determinante da redução dos crimes – a possibilidade de adquirir certos bens devido às transferências  podem ter reduzido o incentivo ou necessidade de engajamento em crimes de motivação econômica. O artigo combinou dados oriundos da base INFOCRIM (sistema da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), da Secretaria de Educação da Cidade de São Paulo e do Censo Escolar. Os pesquisadores também pontuaram que reduções nos índices de pobreza e desigualdade gerados por esses tipos de programas têm consequências sociais mais amplas do que o suposto por seus mentores,...

Leia mais