WP024 – Spillovers from Conditional Cash Transfers: Bolsa Família and Crime

Corroborando achados de literaturas anteriores, este trabalho de Laura Chioda (Banco Mundial), João M. P. De Mello (PUC-Rio) e Rodrigo R. Soares (PUC-Rio e IZA)  constata impacto negativo do Bolsa Família – maior programa de transferência de renda condicional do mundo – sobre a criminalidade. As estimativas indicam que a expansão do programa, ocorrida entre 2006 e 2009 e que elevou o número de estudantes beneficiados por escola, provocou redução de 21% nas taxas de crimes registradas nas redondezas das instituições de ensino. Também se verificou que  os efeitos mais relevantes, do ponto de vista quantitativo, recaíram sobre os roubos e, em menor escala, sobre delitos relacionados ao tráfico de drogas e contra menores (abandono, por exemplo). Mais do que a incapacitação para o crime devido ao tempo passado na escola, o aumento na renda familiar foi o principal determinante da redução dos crimes – a possibilidade de adquirir certos bens devido às transferências  podem ter reduzido o incentivo ou necessidade de engajamento em crimes de motivação econômica. O artigo combinou dados oriundos da base INFOCRIM (sistema da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), da Secretaria de Educação da Cidade de São Paulo e do Censo Escolar. Os pesquisadores também pontuaram que reduções nos índices de pobreza e desigualdade gerados por esses tipos de programas têm consequências sociais mais amplas do que o suposto por seus mentores,...

Leia mais